??As tarifas aéreas domésticas reduziram 3,9% no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. As passagens foram vendidas a uma média de R$ 321,78. No período de maio a junho do ano passado, o valor ficou em R$ 334,84. Os dados estão no relatório Tarifas Aéreas Domésticas, publicado nessa quinta-feira (4) pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). 

A redução foi observada apesar da valorização do dólar e do aumento do preço do querosene de aviação. Segundo o levantamento da Anac, a taxa de câmbio do real frente ao dólar aumentou 12,1% no período, frente aos mesmos três meses de 2017. A moeda americana tem forte influência nos custos com combustível, arrendamento, manutenção e seguro de aeronaves, que, em conjunto, representaram cerca de 48% dos custos e despesas dos serviços aéreos no trimestre. Já o combustível, que representou cerca de 29% dos custos, ficou 34,1% mais caro.  

Ainda, segundo o documento, no primeiro semestre do ano, 55,7% das passagens foram comercializadas por menos de R$ 300; 8% custaram menos de R$ 100; e 0,6% do total custaram mais de R$ 1.500.

Demanda e oferta crescem


Conforme a Anac, a demanda por transporte aéreo doméstico, medida em passageiros quilômetros pagos transportados (RPK), cresceu 5,1% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior. A oferta doméstica, medida em assentos quilômetros ofertados (ASK), aumentou 6,3%. A taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves em voos domésticos teve oscilação negativa de 1,2% no trimestre, ficando em 78,4%.
 

Com informações da Anac
CNT - Confederação Nacional do Transporte

SAUS Q.1 - Bloco J - Entradas 10 e 20
Ed. Clésio Andrade - CEP: 70070-944 - Brasília - DF
Fale Conosco: (61) 2196 5700

©2021 - Confederação Nacional do Transporte