Na manhã desta quarta-feira (31), um evento realizado em Anápolis (GO) marcou a assinatura do contrato de concessão dos tramos central e sul da Ferrovia Norte-Sul, de Porto Nacional (TO) a Estrela d'Oeste (SP). A vencedora do leilão, realizado em março, foi a Rumo, maior operadora de ferrovias do país. O evento contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, dentre outras autoridades. Durante a solenidade, o presidente disse que a obra irá unir o país e diminuir o preço do frete. “É uma obra que passa por quatro regiões e que irá unir o Brasil. Além disso, com a concessão, poderemos baratear o preço do frete.”


O trecho concedido tem extensão de 1.537 km. O tramo central, compreendido entre Porto Nacional/TO e Anápolis/GO, tem 855 km de extensão; e o sul vai de Ouro Verde de Goiás/GO a Estrela d’Oeste/SP, com 682 km. O tramo central está totalmente concluído e encontra-se operacional e disponível para o transporte ferroviário comercial de cargas. Já o tramo sul, que interliga os estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo, possui 95% das obras concluídas. “O contrato é um divisor de águas na história da infraestrutura brasileira. Essa é uma obra que começou há mais de 30 anos e que teremos a oportunidade de concluir no início do ano que vem”, disse o presidente da Rumo, João Alberto Abreu. Ele ressalta que “a concessão também irá beneficiar o setor rodoviário, porque são cargas que precisam ser trabalhadas nesse modal nas pontas. Um país continental como o Brasil precisa da ferrovia para operar em grandes distâncias e trazer competitividade para o produtor brasileiro”. 


O ministro da Infraestrutura destacou que o governo pretende valorizar a matriz ferroviária. “Vamos elevar a participação do modal ferroviário de 15%, que é o que representa hoje no transporte de carga, para 30%. Vamos prorrogar o contrato da malha paulista, que terá investimentos da ordem de R$ 7 bilhões e também iremos conceder a FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) ainda neste ano”. A Rumo S.A. arrematou o leilão pelo valor de R$ 2,7 bilhões, com o direito de operar o trecho por 30 anos. A demanda considerada para a Ferrovia Norte-Sul, tanto na malha própria quanto na malha de terceiros, é de 1,7 milhão de toneladas para 2020, chegando a 22,7 milhões de toneladas em 2055. Entre os principais produtos que deverão passar pela ferrovia, estão carga geral e industrializada com origem nos polos paulistas para centros consumidores, como Goiânia/GO, Brasília/DF, Palmas/TO e Imperatriz/MA. No sentido oposto, serão movimentados grãos de Tocantins, Goiás e Mato Grosso para exportação a partir do Porto de Santos. 

CNT - Confederação Nacional do Transporte

SAUS Q.1 - Bloco J - Entradas 10 e 20
Ed. Clésio Andrade - CEP: 70070-944 - Brasília - DF
Fale Conosco: 0800 728 2891

© 2019 - Confederação Nacional do Transporte