Palavra do Presidente

O Brasil está avançando

O Brasil está caminhando para superar a recessão econômica e voltar a crescer. A aprovação da Reforma Trabalhista foi um grande avanço. A modernização da legislação incentiva o investimento produtivo e a geração de empregos.

A liberdade de negociação entre patrões e empregos criará um mercado de trabalho mais dinâmico, com maior produtividade, com novos tipos de contratos, jornadas e horários mais adequados a cada atividade e às demandas do nosso tempo. Essa flexibilidade tornará as empresas brasileiras mais competitivas e, portanto, mais sólidas e rentáveis.

Ao mesmo tempo, o novo mercado que está nascendo abre inúmeras oportunidades para os trabalhadores, especialmente para os jovens e para os quase 14 milhões de desempregados. 

O teto de gastos, a Reforma do Ensino Médio, a terceirização da mão de obra e a nova lei trabalhista estão modernizando o Estado brasileiro e alinhando o Brasil com o que há de mais eficiente e inovador na economia mundial.

Essas primeiras mudanças foram suficientes para que a economia iniciasse a espiral de recuperação que estamos registrando, com melhora de vários indicadores. Crescimento do PIB, geração de empregos, queda da inflação, redução das taxas de juros, retomada da produção industrial, melhora nas vendas do varejo e na prestação de serviços são alguns dos sinais de que a economia saiu do vermelho.

Governo e Congresso Nacional devem, portanto, persistir nas reformas estruturais do Estado brasileiro, realizando as reformas previdenciária, fiscal e política com a mesma celeridade e coragem demonstradas até agora.  

Esse processo de reformas e os bons indicadores econômicos dão mostras de que o Brasil amadureceu, de que nossas instituições estão sólidas e de que somos uma nação capaz de superar as adversidades.

O setor transportador tem a expectativa de que os esforços do governo, ao lado da iniciativa privada, criem condições para a retomada imediata de fortes investimentos em infraestrutura. A despeito das dificuldades fiscais enfrentadas nos três níveis da Federação – municipal, estadual e federal–, o Brasil precisa investir pesadamente em infraestrutura para voltar a crescer.

Com recursos públicos escassos, o país precisa contar, cada vez mais, com o investimento estrangeiro. Mas, para isso, será necessário recuperar a imagem do Brasil no mercado internacional a partir da criação de um ambiente que ofereça segurança jurídica e condições atraentes para o investidor. As bases desse novo ambiente já estão assentadas. Agora é prosseguir na modernização do Estado, com as reformas estruturais e com a estabilização econômica e institucional.

A chance de voltar a crescer e de reposicionar o Brasil no rol das nações mais promissoras do mundo está em nossas mãos. O rumo está dado. É só seguir em frente.

Clésio Andrade

Presidente da Confederação Nacional do Transporte

* Os artigos do presidente da CNT são publicados mensalmente na Revista CNT Transporte Atual​