24/08/2012 | Meio ambiente

Plano de Renovação de Frota de caminhões da CNT é discutido em Vitória (ES)

Lançado em 2009 pela CNT, plano RenovAr retira veículos velhos de circulação e contribui com o meio ambiente.

Foto: Divulgação/Fetransportes Plano de Renovação de Frota de caminhões da CNT é discutido em Vitória (ES)

Segundo dados da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), mais de um milhão de veículos circulam nas vias e rodovias do Brasil. A idade média também é elevada: caminhões que pertencem às empresas têm 8,8 anos e, no caso dos autônomos, o número sobe para 21 anos. Resultado: maior consumo de combustível e insumos, problemas mecânicos e altas emissões de poluentes na atmosfera.

Ciente da urgência de investir na renovação de frota, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) lançou o RenovAr - Plano Nacional de Renovação de Frota de Caminhões. O plano foi apresentado no último dia (21), em Vitória, em uma sessão especial na Assembleia Legislativa do Espírito Santo. A coordenadora de projetos especiais da CNT, Marilei Menezes, falou sobre o plano.

Lançado em 2009, o RenovAr é um plano para renovação da frota de veículos transportadores que considera mecanismos econômicos, financeiros e fiscais, com ênfase num programa especial de crédito ao caminhoneiro e retirada de circulação dos veículos velhos.

“É possível encontrar, principalmente nos portos, caminhões com mais de 50 anos. Essa frota envelhecida é um entrave para o desenvolvimento econômico. Tivemos um avanço ambiental com a entrada em vigor da Fase P7 do Proconve, mas agora é preciso focar no transporte de cargas, com um plano que rejuvenesça a frota”, explicou Marilei.

O diferencial do plano, segundo ela, é o fato de o autônomo ganhar um bônus, oferecido pelo governo, que pode ser utilizado para compra de um caminhão mais novo. Ela lembrou que a implantação do plano está diretamente ligada a desafios que o Brasil precisa vencer como a criação de centros de reciclagem de veículos, elaboração de uma política pública em parceria com a iniciativa privada e a integração do plano às políticas públicas nacionais.

Ela reconheceu que o RenovAr não é um plano simples, pois envolve uma série de atores: governo, setores de transportes e logística, e indústria, dentre outros. Mas não considera essa amplitude um impedimento. “Estamos em um bom momento para o Renovar sair do papel. Esta é a década da Segurança Viária da Organização das Nações Unidas (ONU), tivemos a Rio +20 no primeiro semestre e a Fase P7 do Proconve entrou em vigor do início do ano. O contexto nacional e internacional está propício à implementação do Renovar”, argumentou.

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas & Logística do Estado (Transcares), José Antonio Fiorot, a criação de um plano como o Renovar é prioridade. “O percentual de caminhões que circula com mais de 20 anos de uso chega a 32% da frota. E 17% tem mais de 30 anos de uso. O assunto precisa ser amplamente discutido pelo governo, demais setores de produção e sociedade em geral”, comentou Fiorot.

O presidente da Federação das Empresas de Transportes do Espírito Santo (Fetransportes), Luiz Wagner Chieppe, disse que é preciso investir em ações eficazes para substituir essa frota altamente poluente. “Estamos diante de um plano amplo e contribuímos no que diz respeito à redução da emissão de poluentes no meio ambiente. Precisamos continuar dando bons exemplos”, finalizou.

A sessão especial foi proposta pelo deputado estadual e presidente da Comissão de Meio Ambiente, Sandro Locutor. Além de Chieppe e Fiorot, participaram o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES), José Eugênio Vieira, o diretor-executivo da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), José Francisco Pereira da Costa, o diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES), Fábio Nielsen. Empresários, dirigentes do setor de transportes e estudantes de cursos técnicos de Logística, Petróleo e Gás, e Engenharia Ambiental também estavam presentes.

Despoluir
Marilei Menezes também falou sobre o Programa Ambiental do Transporte - Despoluir. “Atualmente, mais de 18 mil transportadores participam do Programa e, desse total, 88% estão com a frota aferida aprovada nos testes de emissão de poluentes”, destacou.

Durante a apresentação, ela ressaltou a atuação da Fetransportes no programa. “A federação do Espírito Santo é a que possui o maior número de unidades operacionais – sete - e também um alto índice de aprovação nos testes de fumaça preta. Do total de veículos movidos a diesel que são avaliados, 94% são aprovados”, elogiou Marilei.


Com informações da Fetransportes

Agência CNT de Notícias

 

Comentar esta reportagem

Os textos veiculados pela Agência CNT de Notícias podem ser reproduzidos desde que a fonte seja citada. O conteúdo está licenciado sob a CC-by-sa-2.5, exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes. 

Publicação da Confederação Nacional do Transporte (CNT), instituição presidida pelo senador Clésio Andrade (PMDB/MG).