Notícias

28/11/2017
Presidente da CNT é eleito personalidade do transporte

Prêmio foi concedido pela Revista Transporte Moderno a Clésio Andrade por sua contribuição ao transporte ao longo das últimas décadas

Foto: Divulgação


O presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte) e dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Clésio Andrade, foi homenageado como personalidade do transporte pela Revista Transporte Moderno, nesta terça-feira (28), em solenidade realizada em São Paulo. A premiação representa o reconhecimento ao trabalho que Clésio Andrade vem empreendendo em prol do setor, desde a década de 1960, quando começou sua relação com o transporte, e que culminou, nos anos 1990, com a presidência da CNT. De lá para cá, sua atuação contribuiu para conquistas e avanços do setor, conferindo representatividade e relevância nacional ao transporte.

Em seu discurso, Clésio Andrade declarou estar honrado com a homenagem, agradeceu à publicação e revisitou as conquistas do transporte brasileiro nas últimas décadas, exaltando o papel da CNT nesse processo. “Acredito que nosso maior mérito, meu e de meus companheiros, foi criar uma estratégia de sustentação política, de trabalhos técnicos e de apoio ao nosso transportador e aos nossos trabalhadores, com valorização e representatividade.” Segundo ele, no âmbito institucional, a Confederação buscou, ao longo dos anos, inserir os transportadores nos grandes debates nacionais, valorizando-os na atuação e na representatividade junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
 
Durante a homenagem, Clésio Andrade destacou ainda que, nas últimas décadas, o Sistema CNT também contribuiu para a qualificação, a profissionalização e a modernização do setor de transporte e logística, a partir da criação do SEST e do SENAT. “Nosso setor se orgulha de ter construído instituições, como o SEST e o SENAT, que são reconhecidas e aplaudidas como modelos de inovação em gestão de organizações não governamentais, que privilegiam a economia e a racionalidade no uso de recursos, centralizam atividades-meio, e descentralizam e focam na atividade-fim e nos objetivos sociais e profissionais das instituições.”

O presidente da CNT salientou que, apesar da crise financeira que afetou diretamente o setor, os transportadores vêm fazendo a sua parte. “Temos que ser otimistas e reconhecer que a economia começa a se recuperar, a crise política está passando e o governo está cumprindo a sua parte, realizando reformas estruturais, como a do teto dos gastos públicos, a do Ensino Médio e a Trabalhista. Há outras a serem feitas, como a da Previdência e a Tributária, que serão pilares para o crescimento sustentado e para a geração de empregos.”






Diego Gomes
Agência CNT de Notícias