Notícias

25/09/2018
Veja novidades do IAA 2018 para um transporte mais sustentável

Montadoras buscam alternativas com o objetivo de alcançar um transporte com cada vez menos emissões

Foto: Divulgação/MAN


A eletromobilidade e o uso de combustíveis alternativos ao diesel são alguns dos destaques do IAA 2018, o salão de veículos comerciais de Hannover (Alemanha), que ocorre até a próxima quinta-feira (27). O objetivo do evento é apresentar soluções rumo à redução das emissões de poluentes e de CO2 para que o transporte de cargas e de passageiros cause cada vez menos impactos ao meio ambiente. 
 
A eletrificação de veículos comerciais parece uma tendência, uma vez que essa tem sido uma aposta de grandes empresas. Mas também busca-se garantir viabilidade econômica para os transportadores que operam em diferentes locais, em diversas condições de infraestrutura e matrizes energéticas. 
 
No caso do Brasil, as empresas destacam o potencial para uso de combustíveis como etanol, gás natural e biogás (produzido, por exemplo, a partir de resíduos ou esgoto locais). E apesar da necessidade de se investir em infraestrutura para a carga de uma frota eletrificada, consideram que o país pode explorar essa forma de propulsão, especialmente em razão da possibilidade de se utilizar a geração de fontes renováveis, como hidrelétrica, eólica e solar.  
 
No país, aliás, já há operações de ônibus elétricos e híbridos no transporte urbano. A novidade que vem por aí é o uso dessas tecnologias em caminhões. 
 
Conheça alguns produtos para o transporte de cargas apresentados durante o IAA 2018 com foco na sustentabilidade: 
  

Caminhões a gás

 
A Scania passará a comercializar, no ano que vem, no Brasil, caminhões movidos a gás comprimido (GNV e biogás) com autonomia de até 700 km. Os modelos apresentam redução das emissões de poluentes em relação ao diesel e, segundo a montadora, redução de custos. A empresa também apresentou modelos disponíveis no mercado europeu com gás liquefeito. Para isso, o gás é resfriado a temperaturas inferiores a 160ºC negativos para que fique em estado líquido. Nesses casos, os caminhões chegam a 1,6 mil km de autonomia. Entretanto, esse tipo de combustível não é permitido no Brasil. Além disso, a empresa anunciou uma nova linha de híbridos, movidos a óleo ​vegetal ​tratado com hidrocarbonetos e diesel e a bateria elétrica.  

caminhao-gas-scania.jpg
 

100% elétrico e brasileiro

 
O e-Delivery é um caminhão 100% elétrico, o primeiro fabricado no Brasil. O produto é uma aposta da Volkswagen Caminhões e Ônibus e começará a ser produzido em série a partir de 2020. Mas 1,6 mil unidades já começam a ser testadas por meio de uma parceria com a Ambev. O veículo é feito para ser utilizado em entregas urbanas. A autonomia da bateria é de cerca de 200 km. A recarga total pode ser feita em até três horas. O freio tem três estágios de regeneração para recuperar até 30% da energia durante a frenagem e utilizá-la para recarregar as baterias. O caminhão apresentado no IAA também tem um sistema inteligente que ajusta o consumo de energia à massa transportada pelo veículo. 
 
Foto: CNT
edelivery.jpg
 

100% elétricos 

 
A Volvo Trucks lançou caminhões 100% elétricos para uso urbano e em operações de coleta de lixo, para redução de ruídos e zero emissão de poluentes. Além disso, como os veículos são mais silenciosos, será possível realizar operações noturnas em áreas com restrição de ruídos, o que pode contribuir para a redução de congestionamentos. Os modelos Volvo FL e FE Electric começarão a ser comercializados na Europa no ano que vem e ainda não têm data para chegar ao Brasil. Eles têm capacidade para transportar de 16 a 27 toneladas de cargas e possuem autonomia de até 300 km.  
Foto: CNT
caminhao-eletrico-volvo.jpg

Entre os destaques de caminhões 100% elétricos também está o CitE, da MAN. O veículo pode transportar até 15 toneladas, voltado a entregas urbanas. Um diferencial desse modelo, que será disponibilizado somente na Europa, é que a altura de entrada para a cabine é bem mais baixa e larga do que de modelos convencionais. Ele também tem um sistema de câmeras de 360 graus para ampliar a visibilidade do entorno do veículo por parte do motorista. A autonomia da bateria é de 100 km.
Foto: Divulgação/MAN
cit-E volvo.jpg
 

Híbridos e inteligentes

 
A Scania acredita que, nas próximas décadas, a frota de veículos será totalmente eletrificada. Mas, por enquanto, investe no desenvolvimento de produtos que representem uma transição. Por isso, apresentou, durante o IAA 2018, o caminhão híbrido elétrico plug-in (PHEV) e o caminhão elétrico híbrido (HEV). Os modelos serão disponibilizados, antes, para o mercado europeu, e ainda não há data para comercialização desses veículos no Brasil. Eles podem utilizar óleo vegetal tratado com hidrocarbonetos trabalhando em paralelo com a bateria. Esses veículos podem ter redução de até 92% nas emissões de CO2, conforme a empresa. Além disso, os veículos são inteligentes: a tecnologia embarcada, chamada de Scania Zone, presta assistência automática, uma vez que mapeia zonas com limite de emissão de ruídos e de velocidade, ajustando, automaticamente, a operação do veículo às normas locais. Ela é capaz, por exemplo, de desativar o motor a combustão de modo que o caminhão trafegue somente com a bateria por até 10 km.  

Foto: Divulgação/Scania
Caminhão híbrido scania2.jpg


Caminhão híbrido Scania.jpg

A jornalista viajou a convite da Anfavea






Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias