Palavra do Presidente

Um bom sinal*

O movimento de recuperação da economia não parece estar sendo afetado pelas sucessivas ondas de instabilidade política que o Brasil vem passando. Embora os dados sobre a reação da indústria, do comércio e do setor de serviços ainda sejam preliminares, os sinais são positivos. A expectativa dos transportadores é que os avanços econômicos dos últimos meses sejam consolidados. Para isso, é importante que governo e Congresso Nacional persistam nas reformas estruturais do Estado brasileiro.

A Reforma do Ensino Médio, a aprovação do teto de gastos e a terceirização, junto com os esforços de estabilização macroeconômica, produziram um ambiente de mais confiança, que contribuiu para que o país pudesse superar o quadro de recessão que persistia há mais de dois anos. 

Essas primeiras mudanças implementadas pelo governo foram a senha para que a economia iniciasse a espiral de recuperação que estamos vendo, com a melhora de vários indicadores nos dois últimos meses: crescimento de 1% do PIB Nacional, queda da inflação, redução das taxas de juros, retomada da produção industrial, aumento das vendas do varejo e da prestação de serviços são alguns dos indicadores de que a economia saiu do vermelho. 

Hoje, o Brasil tem chances concretas de inaugurar um novo ciclo de crescimento sustentável, mas, para isso, é necessário continuar incentivando o investimento produtivo por meio da garantia de segurança jurídica e de condições cada vez mais atraentes para os investidores nacionais e estrangeiros. 

É preciso afastar as incertezas quanto à continuidade das reformas de modernização do Estado.  Esse sinal tem que partir do Congresso Nacional com a aprovação, o mais rápido possível, da Reforma Trabalhista e com a intensificação dos debates sobre a Reforma da Previdência. 

Uma Lei Trabalhista moderna e a perspectiva de equilíbrio das contas previdenciárias vão fortalecer o ambiente de confiança que vem sendo construído nos últimos meses. 

Esperamos chegar ao segundo semestre de 2017 em condições ainda mais favoráveis para que o Brasil possa receber fortes investimentos em infraestrutura, retomando sua rota de desenvolvimento sustentável, com geração de empregos e renda para todos os brasileiros.


Clésio Andrade

Presidente da Confederação Nacional do Transporte

* Os artigos do presidente da CNT são publicados mensalmente na Revista CNT Transporte Atual​