23/03/2012 | Transporte ferroviário

Sistema facilita controle dos bens patrimoniais das concessionárias de ferrovias

ANTF promoveu seminário inédito para discutir o tema. Participaram dirigentes da ANTT e do Exército.

Foto: Divulgação/ANTF Sistema facilita controle dos bens patrimoniais das concessionárias de ferrovias

A implantação do Sistema de Gestão com Inteligência Geográfica nos Ativos Ferroviários (GIGFER) foi pauta de evento promovido, esta semana, pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) na sede da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em Brasília.

O modelo é importante porque facilita o controle desses ativos patrimoniais, ou seja, os bens que são essenciais – locomotivas e vagões, por exemplo –para que a operação ferroviária ocorra de maneira eficiente.

O 1º Seminário de Discussão do Registro de Bens das Concessionárias Ferroviárias também reuniu dirigentes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e do Exército. Os debates tiveram como base a regulamentação existente e as experiências adquiridas pelo poder concedente e pela iniciativa privada nos trabalhos de levantamento dos dados.

Segundo a gente técnica da ANTF, Ellen Martins, o objetivo da reunião foi viabilizar a padronização de tarefas para aperfeiçoar o processo de operacionalização do sistema.

O seminário facilitou a busca de soluções para dúvidas que ainda persistem em relação ao sistema, considerado um instrumento muito importante para o controle dos ativos ferroviários. O diretor da ANTT, Jorge Bastos, disse que a realização do seminário é fundamental para dar continuidade ao processo de implementação do modelo.

O coordenador do Comitê de Patrimônio da ANTF, Sérgio Carrato, explicou que o GIGFER é um projeto desenvolvido pela ANTT, por meio de um convênio com o Departamento de Engenharia do Exército (DEC). As concessionárias encaminharam a base de dados, após levantamento de bens patrimoniais e, neste momento, o sistema encontra-se em fase de aferição. Com base no que foi cadastrado, técnicos estão indo a campo, em pontos escolhidos aleatoriamente, para averiguar a conformidade dos dados.

De acordo com Carrato, a implantação do sistema será positiva para as concessionárias. “Assim, as empresas terão uma base única e sistematizada de controle dos ativos patrimoniais. Neste seminário, estamos trocando experiências e alinhando conhecimentos para definir os próximos passos para conseguirmos implantar o GIGFER”, explicou.


Com informações da ANTF

Agência CNT de Notícias

 

Comentar esta reportagem

Os textos veiculados pela Agência CNT de Notícias podem ser reproduzidos desde que a fonte seja citada. O conteúdo está licenciado sob a CC-by-sa-2.5, exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes. 

Publicação da Confederação Nacional do Transporte (CNT), instituição presidida pelo senador Clésio Andrade (PMDB/MG).