Notícias

10/03/2017
Companhias aéreas explicam medidas que serão adotadas sobre bagagens despachadas

A partir de terça-feira (14), empresas poderão adotar as próprias regras sobre o tema com o fim da regulamentação sobre franquia

Foto: José Cruz/Agência Brasil - 10/03/2017


Com o fim da regulamentação sobre a franquia de bagagem no Brasil, as empresas aéreas do país terão liberdade para definir as próprias políticas com relação ao tema. A mudança valerá para bilhetes comprados a partir do dia 14 de março deste ano. A única obrigatoriedade será de que os passageiros deverão ter o direito de levar, sem qualquer cobrança adicional, ao menos 10 kg na bagagem de mão.

Veja o que dizem as maiores companhias aéreas brasileiras sobre as políticas gerais que serão adotadas:

Avianca


A companhia decidiu não cobrar por despacho de bagagens no início da vigência da nova resolução, em 14 de março, pois prefere estudar essa questão mais profundamente durante os próximos meses, a fim de criar produtos tarifários customizados para melhor atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes. A empresa ressalta que seu objetivo é oferecer serviços que sejam atrativos e, ao mesmo tempo, coerentes com seu histórico de qualidade.  Na avaliação da companhia aéra, as medidas aprovadas pela Agência Nacional de Aviação Civil beneficiam os passageiros, pois aproximam as práticas do setor aos padrões internacionais e estimularão o acesso de cada vez mais pessoas ao transporte aéreo.


Azul


A Azul diz que continuará oferecendo normalmente a franquia de bagagens de 23 kg em seus voos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente. No entanto, a companhia oferecerá preços menores a quem não despachar malas. Essa opção será introduzida gradativamente, a partir do dia 14 de março. Passageiros poderão transportar até 10 kg em bagagens de mão.

Em voos internacionais, o volume de bagagem despachada para voos com destino aos Estados Unidos e à Europa também passa a ser diferente. Os clientes com bilhetes adquiridos para as classes Econonomy e Economy Extra terão direito ao despacho de dois volumes de 23 kg cada. Clientes da Azul Business, poderão despachar três volumes de 23 kg cada. Caso o passageiro queira despachar um ou mais volumes extras, a companhia reduzirá o valor do volume extra de US$ 150 para US$ 100 por volume. Para voos na América do Sul, a companhia terá por regra o despacho de um volume de até 23 kg de bagagem por cliente. Cada volume extra custará US$ 50.

Gol


A Gol afirma que terá uma classe tarifária mais barata para clientes que não despacharem bagagens e manterá também a opção daqueles que preferirem continuar a ter esse benefício ao adquirir o bilhete.

A empresa diz que adotará um modelo simples e os clientes não terão dificuldades para identificar as tarifas mais baratas sem o despacho de bagagens. Aqueles que escolherem essas tarifas terão a opção de adquirir a franquia, que será calculada por volume despachado. Os valores da unidade, que ainda serão definidos, irão crescer de acordo com a quantidade de malas. A primeira será mais barata que a segunda, que será mais barata do que a terceira e assim por diante.

O serviço poderá ser adquirido em todos os canais de atendimento da Gol (app, site, totem, central de atendimento, balcão). Haverá preços especiais para aquisição prévia (antes do check-in) e no autoatendimento. Clientes Smiles terão condições diferenciadas, assim como aqueles que optarem por outras classes de tarifas que já incluirão a bagagem. Nos voos internacionais, os clientes Gol Premium também terão vantagens.

A data da implementação e mais detalhes do novo modelo serão anunciados pela companhia em breve.

Latam


A Latam afirma que implementará as mudanças de forma gradual para que o passageiro tenha tempo hábil de se adaptar às novas regras.

Cada passageiro poderá levar até 10 kg (exceto Premium Business e Premium Economy, que mantém a franquia de 16 kg) em bagagens de mão. As dimensões da mala seguem inalteradas (no máximo 55 cm de altura x 35 cm de largura x 25 cm de espessura).

Quanto à bagagem despachada, inicialmente, cada passageiro poderá transportar 23 kg em voos dentro do Brasil e de/para a América do Sul. Nos demais voos internacionais, clientes poderão despachar até dois volumes de 23 kg cada. Já os clientes nas cabines Premium Business e Premium Economy, poderão transportar até três volumes de 23 kg. As regras relacionadas às dimensões da bagagem despachada seguem inalteradas, onde largura + altura + comprimento somados devem ter até 158 cm.

Haverá alteração no pagamento do excesso de bagagem, seja pelo call center, site ou pessoalmente no aeroporto. A cobrança será mais simples e feita por meio de taxas fixas por peça, por faixa de peso e/ ou por tamanho excedente. Os valores variam de acordo com o tipo de voo: doméstico, regional ou internacional.

Aos poucos, a aérea começará a cobrar por diversos serviços opcionais: despacho de bagagem, seleção de assento e alimentação a bordo. Mas as datas em que isso começará a valer ainda serão anunciadas. Conforme a empresa, a projeção é que os preços poderão cair até 20% nos próximos três anos.

Clique aqui para saber outras mudanças que começam a valer no dia 14 de março




Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias